Já pensou na diferença entre "mostrar respeito" e "mostrar bondade"? São duas qualidades muito importantes que reflectem atitudes diferentes.

O respeito está associado à confiança. Quando você é confiante, mostra respeito ou, por outras palavras, impõe respeito. A confiança é como um lado da moeda. O outro é a amabilidade. Aqui verá o lugar de um e de outro bem como a sua importância nas relações sociais.

Este artigo flui para a visão e experiência masculina. Mas, espere, o homem também aprecia a mulher confiante.

Sou Confiante?

Quando é confiante confia naquilo no seu valor, no seu comportamento e no seu poder de escolha. Ao confiar em si próprio está a defender a sua personalidade e tem  capacidade de fazer valer a sua visão e caminho. As pessoas à sua volta poderão tomar a interpretação de que você não dá aprovação ou reconhecimento de forma fácil.

Concretamente, a auto-confiança é o poder de se proteger a si mesmo independentemente da qualidade do seu carácter. É o seu escudo, são como que os soldados na fronteira do seu território e que permitem o que sai e o que entra. São como que os defesas da sua equipa de futebol.

É então o poder de permitir entrar boas pessoas e boas ofertas na sua vida e negar o acesso a qualquer ameaça.

Pode ser uma pessoa auto-confiante e ao mesmo tempo ter maus valores, possuir comportamentos não aprováveis socialmente ou ser considerado má pessoa e arrogante. Contudo, tem grande habilidade para proteger tudo isso. Pode ser criticado por outras pessoas mas a verdade, mais uma vez, é que tem capacidade para se defender de tudo.

A auto-confiança é uma capacidade naturalmente masculina, é algo que o pai deve transmitir ao filho. Quando o pai não assegura o crescimento da auto-confiança do filho, ele poderá encontrar dificuldade em fazer frente às situações, pessoas e desafios ao longo da sua vida.


Sou Amável?

Ser amável depende da qualidade do conteúdo que compõe o seu ser. Os seus valores, educação e bem-estar compõem a sua capacidade de ser amável. Se lhe falta bem-estar, princípios ou paz interna, poderá ter dificuldade em amar as pessoas que o rodeiam.

A sua amabilidade vai atrair a simpatia e amizade das pessoas à sua volta. Poderá notar mais facilmente quando magoa alguém, as mudanças nos sentimentos dos outros e poderá saber ajudar quando alguém está frágil emocionalmente. Isso torna-o em alguém de bom carácter, confiável e um bom amigo com um bom conselho.

A sua capacidade de partilhar bem-estar, ou seja, a capacidade de ser amável, melhora a sua vida. Mais facilmente atinge um estado de "Estou bem" mesmo que existam diversos problemas à sua volta. Também, claro, tem facilidade em partilhar aquilo que sente e por isso pode conquistar compreensão dos que o rodeiam.

Concretamente, amabilidade é a qualidade daquilo que tem no seu interior. É a qualidade daquilo que tem para oferecer. É o seu bem-estar interior, é o que lhe faz ser boa pessoa, é o que o faz escolher e fazer a aquilo que cria bem-estar. A sua amabilidade procura a harmonia entre as pessoas.

A amabilidade é uma capacidade naturalmente feminina, é algo que a mãe deve transmitir ao filho. Quando a mãe não assegura o crescimento da amabilidade do filho, ele poderá ter comportamentos destrutivos, de rebeldia e encontrar conflitos e guerras com facilidade. Poderá não conseguir perceber as consequências das suas acções nos outros e poderá ter dificuldade em manter um parceiro/a ao seu lado por muito tempo.

O equilíbrio

É comum encontrar desequilíbrios em alguma das duas qualidades descritas acima. Os grandes génios e as personalidades mais admiráveis do mundo costumam alcançar um excelente equilíbrio entre estas duas qualidades.

O objectivo é identificar aquilo que lhe pode estar em falta ou que necessita de melhorar. Vou propor um exemplo prático para melhor descobrir onde pode melhorar. A seguinte conversa acontece entre um pai e um filho adolescente.

Falta de amabilidade
Filho: Pai, podes dar-me dinheiro?
Pai: Não!
Filho: Porquê?
Pai: Porque não!
Filho: E o carro podes emprestar?
Pai: Também não.

Esclarecimento: O pai é firme, não se importa com explicações e é símbolo de confiança e autoridade porque está confortável com o conflito de interesses e defende sem ceder. Este é o exemplo da pessoa confiante que deve melhorar o lado da amabilidade.

Falta de auto-confiança
Filho: Pai, podes dar-me dinheiro?
Pai: Sim, vai à minha carteira e tira o que quiseres.
Filho: E o carro podes emprestar?
Pai: Sim.
Filho: Ok, não sei se venho dormir a casa.
Pai: Ok, como quiseres.

Esclarecimento: O pai é amigável e é símbolo de amabilidade, harmonia e entendimento porque permitindo a situação fluir e chegar a um entendimento  facilmente. Este é o exemplo da pessoa amável que deve melhorar a sua auto-confiança.

O Equilíbrio
Filho: Pai, podes dar-me dinheiro?
Pai: Porquê?
Filho: Para sair com amigos.
Pai: Quanto precisas?
Filho: 30 euros.
Pai: Não, por agora não, dou-te 15 no máximo.
Filho: E o carro podes emprestar?
Pai: Sim, se combinarmos que voltas antes das 2 da manhã.
Filho: Combinado.

Esclarecimento: O pai é amigável e sente-se confortável com o conflito. É firme nas suas palavras mas sabe negociar e criar entendimento. Este é o exemplo de equilíbrio e da pessoa que sabe ser um pólo de amabilidade e um pólo de auto-confiança.